Instituto Hélice replicará seu modelo de inovação pelo Rio Grande do Sul

nov 17, 2020 | Atualidades, economia

Nesta quarta-feira, 18, será lançado na Mercopar o programa Startup Lab, iniciativa da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict)

Há dois anos, quatro empresas da Serra Gaúcha decidiram compartilhar o mesmo objetivo de transformarem a si mesmas, mas também a região em que nasceram. Florense, Marcopolo, Empresas Randon e Soprano, empresas com décadas de vida, resolveram trabalhar de forma conjunta para se conectarem com a nova economia.

Com isso, reuniram-se e expuseram suas “dores” e começaram a buscar soluções de tecnologia desenvolvidas por startups com o objetivo de tornar os negócios mais ágeis, rentáveis e atrativos, além de promover mudanças na cultura das empresas. Instituições de ensino, entidades, entre outras representações locais aderiram à ideia. Em 2019, o movimento virou um Instituto e de quatro empresas hoje são 17, além de apoiadoras. O Instituto Hélice representa um conjunto de organizações que acreditam na transformação de um ecossistema de inovação de forma colaborativa.

Nesta quarta-feira, 18, o Instituto Hélice iniciará uma nova e importante etapa. O compartilhamento de toda essa trajetória com oito regiões do Rio Grande do Sul, por meio do ‘Método Startup Lab Hélice de Inovação aberta para o Estado do RS’, uma iniciativa da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict) juntamente com o núcleo regional do Instituto Euvaldo Lodi (IEL/RS), do Conselho de Inovação e Tecnologia (CITEC) e da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs).

Segundo o secretário da Sict, Luís Lamb, a missão do Startup Lab é apresentar para o Rio Grande do Sul um plano de retomada econômica, colocando a inovação no centro da estratégia de desenvolvimento local. “O crescimento e a consolidação do ecossistema de inovação do RS passa pelo apoio às startups e pelo desenvolvimento destas empresas na criação de novos produtos e tecnologias aqui no Estado”, explica.

 

Etapas

Thomas Job Antunes, executivo no Instituto Hélice, explica que o primeiro esforço será o de identificar os protagonistas das oito regiões do Estado que tenham interesse em desenvolver o ecossistema em cada uma delas. “Inicialmente, quatro empresas que estejam dispostas a realizar a experiência serão mobilizadas para fazer conexões com startups”, aponta.

Seguindo o mesmo modelo da Serra Gaúcha, serão convidados observadores locais, formados por instituições de ensino, entidades de classe para se envolverem. Definidas as dores comuns entre as empresas, dentro das temáticas, será aplicada a metodologia já utilizada pela Hélice, que contempla desde a definição de desafios, lançamento, seleção de startups até a realização do pitchday, fazendo uso dos instrumentos e aprendizados já utilizados pelo Instituto Hélice. “Acreditamos que podemos contribuir para o desenvolvimento do ecossistema dessas regiões. Promoveremos essa conexão para que os aprendizados sejam consolidados e se torne referência para o crescimento destes ecossistemas de inovação. Garantiremos toda base necessária para que cada região crie seu ecossistema e assim possam seguir o seu caminho”, completa Antunes.

 

Instituto Hélice na Mercopar

O Instituto Hélice participa da 29ª Mercopar reunindo um time de 22. De 17 a 19 de novembro, das 13h às 20h, o público que se dirigir até os Pavilhões da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), poderá conhecer o trabalho desenvolvido pelo Instituto Hélice no estande localizado no Pavilhão 1 (rua 13, avenida L). Conforme as normas de segurança, a capacidade máxima nos estandes será de uma pessoa para cada dois metros quadrados.

A visitação será gratuita mediante credenciamento online em bit.ly/CredenciamentoMercopar. Para os visitantes será obrigatório o uso de máscaras com a substituição a cada 2 horas de uso. Só poderão ter acesso a feira, maiores de 18 anos, visto que o evento tem caráter técnico de negócios.

Quem estiver em home office ou em escritórios de empresas também terá a oportunidade de acompanhar as atividades, de forma virtual, por meio do site da feira https://mercopar.com.br/. Para isso fique de olho nas redes sociais do Instituto Hélice @helice.network

Serão três dias intensos, de muitas trocas. No estande da Hélice, diariamente, entre 14h e 18h, talks estarão programados a cada 30 minutos, com o objetivo de compartilhar projetos e experiências relacionadas à inovação das empresas que integram o Instituto, criado em 2018. Também das 14h às 18h, a cada uma hora, duas cabines proporcionarão interação virtual entre empresas e visitantes.

O Executivo no Instituto Hélice palestrará no dia 17, às 17h55 horas, no auditório da Mercopar, e falará sobre ‘Inovação aberta no processo de adaptação das empresas da Hélice’.

 

Confira programação no estande Hélice durante a Mercopar 2020

Dia 17/11

14h – Demoday – Startups da Região da Serra (Instituto Hélice, APL, Sebrae)

14h30 – Ariel Köche (Focco) – Integrações com ferramentas CAD

15h – Karen Guerreiro e Ana Cláudia Zampieri (FSG) – Conecta FSG

15h30 – Ana Cristiane Ribeiro (Sicredi) – O que muda com a chegada do Pix nos meios de pagamento?

16h – Silvana Macioski (Dupont Spiller) – LGPD: Como agir em caso de vazamento de seu banco de dados?

16h30 – Tiago Grandi (Strategy Tools) – Strategy Tools: explorando o futuro da estratégia

17h – Geanderson Lenz (Florense) – Encarando Inteligência Artificial sem make up

17h30 – Diego Schiavenin (Centro Empresarial Flores da Cunha) – Casulo Espaço Criativo: cultura das pessoas e um novo modo de pensar

 

Dia 18/11

14h – Paulo Amorim (CENEX) – Acelerando o desenvolvimento: a mentoria de startups

14h30 – Lucas Toniazzo (Sirros) – Desenvolvendo soluções centradas no cliente métodos ágeis

15h – Arthur Muller (Sicredi) – Cenários econômicos para 2021

15h30 – Bruno Bazzanela (Randon) – Conexo: no caminho do futuro

16h – Guilherme Kudiess (Ventiur) – Investimento em startups

16h30 – Ricardo Abel Guarnieri (Dupont Spiller) – Desafios para a implantação do home office e trabalho remoto

17h – RH Além Fronteiras – O processo de co-construção da formação liderança na inovação

17h30 – Claus Hidenori Nakata e Eduardo Della Pace Dornelles (Marcopolo) – Sistemas de mobilidade

18h – Tiago de Abreu e Thomas Job – Lançamento programa Startup Lab

18h30 – Rodrigo Dal Pizzol (Acelera Serra) – Como o Acelera Serra pode ajudar a sua startup

 

Dia 19/11

14h – Felipe de Oliveira Correa (Soprano) – Benefícios da instalação de energia fotovoltaica

14h30 – Diego Piazza (UCS) – UCS Graphene: visão para o desenvolvimento tecnológico da indústria nacional

15h – Mateus De Abreu (Randon) – Randon Ventures: juntos para investir e acelerar

15h30 – Bruno Zanotti (Lojas Colombo) – Atendimento mobile em lojas físicas (PDV Mobile)

16h – Etiane Gobo (Focco) – Inbound Marketing

16h30 – João Carlos Paviani Júnior (Marcopolo) – Biossegurança na mobilidade através da inovação aberta

17h – Josiel Freitas (Thyssenkrupp) – IoT aplicada à indústria de elevadores e a adaptação ao novo normal

17h30 – Marina Poloni (Acelera Serra) – Mind7 Startup – Transformando ideias em revoluções

 

Salão Sebrae

Além de atividades no estande, a Hélice estará presença no Salão Sebrae por meio de diversas ações:

– ‘Matchmaking soluções tecnológicas’, nos dias 18 e 19, das 14h às 19h30, cujo objetivo é a rodada de negócios entre compradores e vendedores de tecnologia;

– ‘Like a Boss’, a competição de startups, contará com a presença da Hélice nas bancas de avaliação nos dias 18 e 19;

– ‘Talks’, nos intervalos do Like a Boss de 30 minutos;

– ‘Demoday’, dia 19, às 16h30, quatro startups investidas pelo grupo Hélice farão apresentação para uma nova rodada de investimento;

– ‘Pitchday’, no dia 17, às 14h, abrirá oportunidade para startups da Serra Gaúcha.

 

Sobre a Hélice

O nome Hélice foi escolhido por trazer conceitos que estão aderentes à proposta do movimento, que visa aproximar empresas e startups, movimentando o ecossistema de inovação. Em uma hélice todas as pás possuem a mesma importância e saem do mesmo centro, ou seja, o protagonismo é coletivo. Ao se moverem em conjunto, causam transformação, inovam, criam uma força nova. Além disso, a geração de vento também remete à renovação, abundância, sustentabilidade.

O Instituto Hélice conta com empresas mantenedoras: Florense, Marcopolo, Metadados, Randon e Soprano; empresas associadas: Lojas Colombo, Dupont Spiller Advogados, Focco Soluções de Gestão, John Deere, Rede Sim, Sicredi Pioneira RS, Sistema Saúde Integral (SSI), thyssenkrupp Elevadores e Unimed Nordeste RS; instituições de ensino: FSG Centro Universitário, TecnoUCS e Grupo Uniftec; grupo de investimento: VENTIUR Aceleradora; e os apoiadores são: Centro Empresarial de Flores da Cunha, SIMECS, Cenex, AdriSilva Agência de Conteúdo.

 
Please follow and like us: