Adri Silva https://adrisilva.com.br Agência de conteúdo Sun, 28 Feb 2021 23:50:54 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.5.3 https://adrisilva.com.br/wp-content/uploads/2020/01/cropped-2212r4e3-32x32.png Adri Silva https://adrisilva.com.br 32 32 E-commerce sinaliza tendência e se torna cada vez mais importante para a indústria moveleira https://adrisilva.com.br/2021/02/24/e-commerce-sinaliza-tendencia-e-se-torna-cada-vez-mais-importante-para-a-industria-moveleira/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=e-commerce-sinaliza-tendencia-e-se-torna-cada-vez-mais-importante-para-a-industria-moveleira Wed, 24 Feb 2021 23:32:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=17019

E-commerce sinaliza tendência e se torna cada vez mais importante para a indústria moveleira

 

 

 

 

A região Sul está entre os destaques de vendas do varejo eletrônico, com alta de 66,22%, em dezembro de 2020 em relação ao mesmo período de 2019

 

        Ao final de um ano marcado pela pandemia, que impactou os segmentos econômicos mundiais de forma negativa, poucos poderiam imaginar que 2020 sinalizaria uma nova tendência. A indústria moveleira nunca havia vendido tanto por meios digitais, um formato que tem demonstrado, mesmo em outros segmentos, franca expansão no Brasil.

        Em dezembro de 2020, a alta registrada foi de 53,83%, em relação ao mesmo período de 2019, de acordo com o Comítê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital. Considerando-se separadamente as regiões brasileiras, o Nordeste foi aquela que obteve os melhores índices em dezembro, com aumento de 77,63% nas vendas do varejo eletrônico. Em seguida, aparecem a região Sul (66,22%), Sudeste (48,32%), Centro-Oeste (46,99%) e Norte (39,25%). No ano, o destaque foi novamente o Nordeste (100,34%), também seguido pelo Sul (incluindo os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná), com 79,22% de alta. 

           Teletrabalho rende novo fôlego ao setor moveleiro

     O isolamento imposto para conter o avanço da Covid-19 fez com que as pessoas passassem mais tempo em suas casas e empresas – de acordo com suas atividades – começassem a aderir ao teletrabalho, rendendo fôlego à indústria moveleira. As boas experiências também contribuíram para que o consumidor confiasse mais no comércio pela web, quebrando barreiras psicológicas em algumas categorias, como a moveleira, quando as pessoas queriam ver o material de perto antes de efetivar a compra. Cada vez mais a venda digital, realizada pela primeira vez para atender às necessidades, deve continuar, independente da pandemia. “Aconteceu uma mudanças de hábitos, fazendo com que as pessoas observassem melhor o espaço onde se encontram, desejando torná-lo mais confortável sem perder a praticidade. O home office teve boa parcela de responsabilidade nisso”, defende Rogério Francio, presidente da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs).

        O e-commerce que, antes da crise sanitária e econômica, não era muito comum, se tornou um canal adicional de vendas para a indústria de móveis. “As empresas mais preparadas para atuar nesse formato foram aquelas que obtiveram, e seguem registrando, os melhores resultados”, reitera Francio. Esse cenário corrobora a realidade transformada pelo mundo digital, basta verificar o crescimento real de 41,2% do comércio eletrônico em 2020, em relação ao ano anterior, conforme o boletim sobre notas fiscais eletrônicas da Receita Federal.

               

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

]]>
Última semana para solicitar remoção de restos mortais nas carneiras do Cemitério São José https://adrisilva.com.br/2021/02/19/ultima-semana-para-solicitar-remocao-de-restos-mortais-nas-carneiras-do-cemiterio-sao-jose/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=ultima-semana-para-solicitar-remocao-de-restos-mortais-nas-carneiras-do-cemiterio-sao-jose Fri, 19 Feb 2021 23:44:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=17024

Última semana para solicitar remoção de restos mortais nas carneiras do Cemitério São José

 

 

 

 De 22 a 26/02, famílias interessadas na exumação dos restos mortais de seus entes, localizados em gavetas públicas, devem procurar o cemitério. A partir desse período, as carneiras serão desocupadas e reformadas

  

     O período de 22 a 26 de fevereiro de 2021 será a última oportunidade para as famílias, que possuem restos mortais de seus entes nas carneiras antigas do Cemitério Municipal São José, de Santa Maria, solicitarem a remoção e exumação dos mesmos. Desde que assumiu a administração do local, o Grupo L. Formolo iniciou a construção de 210 carneiras, permitindo que as 280 gavetas já existentes pudessem ser reformadas. Para tanto, foi disponibilizada a venda das novas gavetas, preferencialmente às pessoas que contavam com carneiras e desejavam desocupá-las.

       Das 280 unidades ocupadas, 78 – apesar das famílias terem efetuado o recadastramento – não deram andamento ao pedido de retirada dos restos mortais e de sua posterior destinação. “Realizamos contatos, sendo que alguns deles não foram localizados a partir dos dados previamente informados. Por isso, é importante que os interessados se dirijam até a administração do Cemitério São José, junto ao Cemitério Santa Rita, na Av. Prefeito Evandro Behr, 2833, ou liguem por meio dos telefones (55) 3221-1709 e (55) 99673-4883”, sinaliza Mateus Formolo, diretor Comercial do Grupo L. Formolo. Essas 78 famílias devem levar seus documentos e o comprovante de arrendamento da respectiva carneira. O custo da operação – que compreende a abertura das carneiras, exumação, fechamento e destinação dos resíduos especiais – totaliza R$ 637,00 e pode ser pago em seis parcelas, no cartão de crédito. As famílias que não procurarem os serviços do cemitério, durante o período citado, terão os restos de seus entes exumados, identificados e transferidos para o ossário.

    Finalizada essa etapa, o Grupo L. Formolo iniciará a limpeza e reforma das gavetas antigas e vai disponibilizar, aos demais interessados, a venda das novas carneiras, a partir de 1º de março desse ano.

 

     Grupo L. Formolo

     Fundado em 1971 por Laurindo Luiz Formolo, o Grupo L. Formolo conta com seis unidades de atendimento funerário, o Crematório São José de Caxias do Sul, o Cemitério Parque Santa Rita e o Cemitério Municipal São José, ambos em Santa Maria, e mais de 40 capelas velatórias instaladas nas suas cidades de atuação. O grupo conta com aproximadamente 150 funcionários.

   Em 49 anos de história priorizou a qualidade e inovação dos serviços prestados, evoluindo em conceito e infraestrutura com o objetivo de disponibilizar um ambiente de muita paz e um atendimento adequado ao momento.

     Entre os líderes de mercado no Rio Grande do Sul, o Grupo L. Formolo oferece serviços funerários, cemiteriais e de cremação e está presente em quatro cidades da Serra Gaúcha (Caxias do Sul, sua sede, Bento Gonçalves, São Marcos, Farroupilha) e há três anos em Santa Maria, na região Central do Estado.

                    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

]]>
Setor moveleiro registra o maior crescimento em volume de vendas no Brasil durante 2020 https://adrisilva.com.br/2021/02/12/setor-moveleiro-registra-o-maior-crescimento-em-volume-de-vendas-no-brasil-durante-2020/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=setor-moveleiro-registra-o-maior-crescimento-em-volume-de-vendas-no-brasil-durante-2020 Sat, 13 Feb 2021 00:57:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=17013

Setor moveleiro registra o maior crescimento em volume de vendas no Brasil durante 2020

 

 

 

 

A variação acumulada das vendas, em relação a 2019, chegou a 11,9%. Na análise de estados brasileiros, o Rio Grande do Sul ficou praticamente estagnado, com crescimento de 0,3% no ano

 

 
    O comércio de móveis no Brasil confirmou a tendência dos últimos meses e foi o segmento que apresentou o maior crescimento no volume de vendas, em 2020. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Comparadas a 2019, as vendas tiveram uma variação acumulada de 11,9%. Na análise por estados, São Paulo, Bahia, Paraná, Distrito Federal e Rio de Janeiro cresceram mais que a média nacional; enquanto o Rio Grande do Sul ficou praticamente estagnado, com crescimento de 0,3% no ano. 

             Embora os resultados do varejo sejam muito positivos para o segmento moveleiro, as indústrias e toda a cadeia produtiva ainda enfrentam uma conjuntura bastante desafiadora. A retração de 6,1% do varejo restrito em dezembro, frente a novembro, é a segunda pior taxa mensal da série histórica da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), iniciada em 2000, e o pior resultado para dezembro. Com isso, o varejo restrito praticamente zera os ganhos que tinham sido registrados nos meses anteriores, o que compensava a retração do período mais intenso da pandemia da Covid-19. Influenciado pelo auxílio emergencial, o setor de hipermercados e supermercados, por exemplo, cresceu 4,8% em 2020, enquanto no ano anterior, tinha avançado apenas 0,4%. O desempenho poderia ter sido melhor se a inflação não tivesse impactado tanto nos últimos meses do ano. “O fim do auxílio emergencial, a aceleração no ritmo da pandemia nos últimos meses e novas medidas restritivas impõem dificuldades para a retomada econômica e são apontadas como fatores decisivos para caracterizar esse cenário”, observa Eduardo Santarossa, da área de Inteligência Comercial do Sindmóveis/Movergs.

          A pandemia, portanto, segue sendo a causa central sobre o desempenho da economia no ano passado. O setor moveleiro, especificamente, registrou descompasso entre a oferta e a demanda alta por mobiliário, quando a produção não conseguiu acompanhar as vendas. “Houve uma mudança no comportamento do consumidor, que ficou mais tempo em casa e muitas atividades passaram a ser desenvolvidas no formato home office”, lembra Rogério Francio, presidente da Associação das Indústrias de Móveis, do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs). Mesmo com a trajetória de crescimento, iniciada no segundo semestre de 2020, o setor não recuperou todas suas perdas, sendo a expressiva alta dos preços dos insumos e a falta de matéria-prima os principais entraves. “Mas a indústria moveleira segue aquecida, movida pela alta demanda do mobiliário e estoques em baixa. Apesar do ambiente instável que se apresenta no início de 2021, a expectativa ainda é otimista”, acrescenta Eduardo Santarossa.

             Produção industrial no segmento moveleiro

            O Rio Grande do Sul encerrou o quarto trimestre de 2020, praticamente, estável em relação ao mesmo período de 2019, com uma queda de 0,3%. No ano, os números da produção industrial representaram redução de 10%. Já no cenário nacional, o quarto trimestre teve um crescimento de 8,1% em comparação ao ano anterior e, portanto, uma queda de 3,8% no ano. A volatilidade do mercado desperta preocupações, devendo-se atentar para alguns riscos macroeconômicos derivados do alto endividamento do governo, incertezas sobre políticas fiscais em 2021, bem como as incertezas relativas ao controle da pandemia e o ritmo da vacinação.

            Em termos gerais, a produção industrial avançou 0,9% na passagem de novembro para dezembro de 2020. Na comparação de dezembro do ano passado com igual mês de 2019 o setor industrial cresceu 8,2%. As principais influências foram registradas nos setores de veículos Automotores, Reboques e Carrocerias (22,6%), Máquinas e Equipamentos (37,4%) e Metalurgia (28,9%). Entre os ramos que também assinalaram impactos positivos importantes foram: Produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos (17,5%), Couro, Artigos para Viagem e Calçados (21,5%), Produtos de Madeira (16,8%) e Móveis (16,3%).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

]]>
Indústria moveleira no RS cresce 9,1% no faturamento acumulado de 2020, em comparação a 2019 https://adrisilva.com.br/2021/02/02/industria-moveleira-no-rs-cresce-91-no-faturamento-acumulado-de-2020-em-comparacao-a-2019/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=industria-moveleira-no-rs-cresce-91-no-faturamento-acumulado-de-2020-em-comparacao-a-2019 Tue, 02 Feb 2021 16:44:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=17000

Indústria moveleira no RS cresce 9,1% no faturamento acumulado de 2020, em comparação a 2019

 

 

Na análise de empregos, o Estado encerra dezembro com saldo positivo de 1.340 novos postos de trabalho, totalizando 36.066 empregos diretos no ano passado, apesar da crise econômica

 

            O Rio Grande do Sul obteve um crescimento nominal no faturamento acumulado da indústria moveleira, em 2020, de 9,1%, no comparativo a 2019, representando R$ 8,22 bilhões. Os dados foram compilados e apurados por Sindmóveis/Movergs, com base no SEFAZ/RS, demonstrando a retomada iniciada no segundo semestre do ano passado, apesar de que as perdas decorrentes da pandemia ainda não foram totalmente recuperadas. “A alta dos custos e a falta de matérias-primas e insumos, provocadas pela desestruturação da cadeia produtiva e forte desvalorização cambial, constituem entre os principais motivos por esse cenário”, argumenta Eduardo Santarossa, da área de Inteligência Comercial do Sindmóveis/Movergs, em Bento Gonçalves.

              Na análise de empregos, o Estado gaúcho sinalizou uma variação de 4,0% em relação ao início de 2020, encerrando em dezembro com um saldo positivo de 1.340 empregos. O fechamento do ano totalizou com 36.066 empregos diretos. Já os números nacionais apontam variação de 4,2% em comparação ao começo de 2020, fechando dezembro com saldo positivo de 9.675 empregos. Ao final do ano passado, foram contabilizados 241.727 empregos diretos.

           O panorama do crescimento na geração de empregos pela indústria moveleira, mesmo frente à crise econômica, supera a média das indústrias de transformação no RS e no Brasil, inclusive nos patamares pré-crise. “No terceiro trimestre, o segmento retomou os níveis de empregos registrados antes da pandemia, consolidando a recuperação no último trimestre e fechando 2020 aquecido, com a criação de postos de trabalho”, observa Rogério Francio, presidente da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs). O ritmo é praticamente similar em Bento Gonçalves, município responsável por 27,2% do faturamento do Estado, tendo atingido um crescimento nominal de 10,9% em 2020 sobre 2019. Esse percentual equivale a R$ 2,23 bilhões.

 

 

 

 

 

 

 

]]>
Pandemia contribuiu para movimentar segmentos de Redes e Segurança da MATV Sul https://adrisilva.com.br/2021/01/29/pandemia-contribuiu-para-movimentar-segmentos-de-redes-e-seguranca-da-matv-sul/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=pandemia-contribuiu-para-movimentar-segmentos-de-redes-e-seguranca-da-matv-sul Fri, 29 Jan 2021 17:11:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=17009

Pandemia contribuiu para movimentar segmentos de Redes e Segurança da MATV Sul

     

Procura por itens que garantem maior velocidade e qualidade de conexões, bem como câmeras e soluções integradas de segurança condicionaram aumento de até 65% em vendas

 

            Com a necessidade do distanciamento social e medidas de proteção à saúde durante a pandemia, muitas empresas viram seu faturamento despencar, obrigando-as a investir em adaptações para sobreviverem à crise econômica. A mudança de hábitos forçada também condicionou a ascensão de setores que, antes, não eram considerados essenciais, como o de redes relacionado ao tele-trabalho. Com o objetivo de capacitar a infraestrutura de home office, produtos desse segmento registram demanda crescente no mercado. “Existe uma procura por planos de banda larga, roteadores e modens mais potentes, além da fibra óptica, que é cada vez mais usada para garantir velocidade e qualidade de conexão”, observa Gustavo Quinones Lorenzo, gerente Nacional de Vendas da MATV Sul Eletrônicos, empresa sediada em Caxias do Sul com unidades no RS e Santa Catarina, dispondo de uma completa linha de equipamentos de redes, segurança, telefonia, antenas e energia solar.

            De acordo com Gustavo, o setor de Redes teve um acréscimo em torno de 65% em vendas, em relação a 2019. Os bons resultados encontram suporte na localização, sendo que o Estado gaúcho – junto à região Sudeste do país – conta com excelente cobertura para fibra óptica, favorecendo a demanda desse tipo de produto. Atuando com itens de diferentes marcas, bem como da Intelbras, para a qual é o maior distribuidor autorizado do Sul do Brasil, a MATV Sul percebeu a alta do consumo pelas tecnologias de fibra óptica, cuja eficiência dos serviços auxilia a multiplicar a qualidade das conexões, permitindo o crescimento da capacidade de redes.

         Outro segmento de destaque na MATV Sul, principalmente a partir do segundo semestre de 2020, foi o de Segurança, registrando um crescimento em vendas de 25%. “A pandemia fez as pessoas ficarem mais tempo em casa e, portanto, aumentarem o cuidado com seu patrimônio. Câmeras de segurança com linhas wi-fi e alarmes, assim como projetos de soluções integradas para empresas de grande porte tiveram aceitação positiva”, enumera Gustavo. Para 2021, ele acredita na tendência de retomada econômica, ressaltando a reestruturação da equipe comercial, o incremento de profissionais especializados no segmento de energia solar e a viabilidade de expansão para outras regiões do Brasil. “Todas as unidades de trabalho atingiram suas metas, apesar de ter sido um ano de incertezas e mudanças imprevistas. Porém, a empresa tem conseguido se readequar e diferenciar-se no mercado”, aponta.

 

 

]]>
Impactos da pandemia refletem no desempenho das exportações de móveis, em 2020, no RS e Brasil https://adrisilva.com.br/2021/01/19/impactos-da-pandemia-refletem-no-desempenho-das-exportacoes-de-moveis-em-2020-no-rs-e-brasil/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=impactos-da-pandemia-refletem-no-desempenho-das-exportacoes-de-moveis-em-2020-no-rs-e-brasil Wed, 20 Jan 2021 01:28:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=16994

Impactos da pandemia refletem no desempenho das exportações de móveis, em 2020, no RS e Brasil

 

Estado registrou redução de 9,8% sobre os valores exportados no comparativo a 2019, enquanto o Brasil teve queda de 2,0% no mesmo período. Apesar dos números, perspectivas para 2021 são otimistas

 

         Os impactos da pandemia no comércio exterior foram fortes, reflexo da crise mundial onde as cadeias produtivas foram desorganizadas com significativa queda no consumo, especialmente no segundo trimestre de 2020, e consequente baixa na produção. Nesse cenário, o Rio Grande do Sul teve uma redução de 9,8%, com 178,78 milhões de dólares na exportação de móveis, em relação a 2019; enquanto o Brasil registrou menos 2%, totalizando 679,1 milhões de dólares, no mesmo período. Um dos pólos moveleiros mais expressivos do Estado, Bento Gonçalves teve uma diminuição menor sobre desempenho das exportações, se comparado aos índices do RS e Brasil: em 2020, atingiu 47,6 milhões de dólares em valores exportados, representando menos 0,2%, em relação a 2019.

     As informações foram compiladas do Portal Comex Stat, sistema para consulta e extração de dados do comércio externo brasileiro. De acordo com Eduardo Santarossa, da área de Inteligência Comercial do Sindmóveis/Movergs, em Bento Gonçalves, “os valores em dólares ficaram praticamente estáveis em relação ao ano anterior. Os Estados Unidos estão consolidados como o principal destino dos móveis da região. São destaques também os bons resultados registrados para Peru, Reino Unido, Porto Rico, Equador, França e Emirados Árabes Unidos”, acrescentou. Na análise dos principais mercados do RS pode ser observado um crescimento das exportações em alguns destinos. Além dos Estados Unidos, aparecem ainda Peru, Chile, Porto Rico, Países Baixos (Holanda) e Emirados Árabes Unidos.

            Santarossa lembra que as exportações reagiram de modo muito favorável nos últimos meses, oportunizando a recuperação de parte das perdas durante o segundo semestre de 2020, considerado o pior período para os embarques de móveis. Porém, apesar dos sinais da retomada da trajetória positiva a partir dos níveis pré-pandemia, ainda não foi possível recompor as perdas do ano.

      As previsões para 2021, mesmo com a volatilidade do mercado internacional, são otimistas, sustentadas pela alta demanda por mobiliário e a expectativa da vacinação em massa – com as primeiras doses sendo distribuídas em janeiro – e o esperado controle sobre a pandemia da Covid-19.

 

 

]]>
Aumento de regiões atendidas e reestruturação das equipes marcaram geração de empregos na MATV Sul Eletrônicos https://adrisilva.com.br/2021/01/18/aumento-de-regioes-atendidas-e-reestruturacao-das-equipes-marcaram-geracao-de-empregos-na-matv-sul-eletronicos/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=aumento-de-regioes-atendidas-e-reestruturacao-das-equipes-marcaram-geracao-de-empregos-na-matv-sul-eletronicos Tue, 19 Jan 2021 01:15:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=16988

Aumento de regiões atendidas e reestruturação das equipes marcaram geração de empregos na MATV Sul Eletrônicos

Empresa caminha na contramão da crise provocada pela pandemia, registrando abertura de postos de trabalho e promoções, entre julho a novembro de 2020

 

            Dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em dezembro de 2020, apontaram que o Rio Grande do Sul teve mais contratações do que demissões no mercado de trabalho formal. Em novembro, o Estado chegou a abrir mais de 29 mil empregos com carteira assinada, apesar da pandemia e os impactos causados na economia do país. A expectativa pela chegada da vacinação e a possibilidade de controle sobre as medidas restritivas de distanciamento e produção sinalizam mais confiança na relação de negócios.

         Há empresas que caminham de acordo com as estatísticas do Caged, a exemplo da MATV Sul Eletrônicos, que registrou, no ano passado, a abertura de vagas, entre aumento no quadro de lotação, criação de novos cargos e promoções provenientes do Plano de Carreira. As oportunidades começaram a surgir entre julho a novembro, dividindo-se em todas áreas e atingindo, praticamente, as sete unidades da empresa, distribuídas nos Estados do RS e Santa Catarina. A ampliação de parcerias e o aumento das regiões atendidas contribuíram para fortalecer esse cenário. “Estamos investindo em ações que visam o crescimento, capacitação e valorização de nossas equipes, que estão sendo reestruturadas para atender as exigências de mercado, além de instituirmos um novo setor, o de Especialistas de Segmentos”, citou a gerente de Recursos Humanos, Giovane Lazzaretti.

         Com vagas preenchidas em 2020, a MATV Sul não descarta a disponibilidade de outros postos de trabalho neste ano, impulsionados por ações de desenvolvimento técnico e humano, a exemplo do Programa Desenvolvimento de Lideranças, voltado às gerências e coordenações, com intuito de aperfeiçoar as competências comportamentais e profissionais. A empresa também conta com o Programa Trainee, que visa à formação de líderes para conduzir equipes no futuro, por meio da retenção e preparo de talentos com capacidade gerencial para assumir posições estratégicas. O Grupo Engaja é composto por funcionários para atuar em atividades de endomarketing, em todas unidades da MATV Sul, melhorando a comunicação interna. Além de ações colaborativas e de aproximação, como o Café da Manhã com o RH e preventivas de saúde e bem-estar das equipes, a MATV Sul criou a Pesquisa Avaliação dos Gestores. Trata-se de uma ferramenta de análise sistemática sobre o desempenho do profissional, junto à atividade que realiza, as metas estabelecidas nos resultados alcançados, potencial técnico; bem como analisar o trabalho do gestor em seus aspectos comportamentais e emocionais.

       As vagas são divulgadas nas redes sociais da empresa, que adotou a plataforma Kretos de recrutamento e seleção, agilizando o processo e a assertividade das contratações.  

 

Distribuidor autorizado Intelbras

       Com quase 36 anos de história e sediada em Caxias do Sul, a MATV Sul Eletrônicos é o maior distribuidor autorizado da Intelbras no Sul do Brasil. Possui a mais completa linha de equipamentos de segurança, telefonia, redes, antenas e energia solar, com filiais em Caxias do Sul, Porto Alegre (uma na zona Norte e outra na zona Sul), Novo Hamburgo, Santa Cruz do Sul, Xangri-lá e Criciúma (SC).

]]>
Comunicado oficial | Adiamento da Fimma Brasil 2021 https://adrisilva.com.br/2021/01/13/comunicado-oficial-adiamento-da-fimma-brasil-2021/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=comunicado-oficial-adiamento-da-fimma-brasil-2021 Wed, 13 Jan 2021 19:37:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=16984

Comunicado oficial | Adiamento da Fimma Brasil 2021

     A Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs) comunica, oficialmente, o adiamento da FIMMA Brasil, que ocorreria em Bento Gonçalves, de 26 a 29 de abril de 2021.

      Essa é uma decisão que parte da diretoria da feira e sua entidade promotora, com o intuito principal de preservar a saúde de todos os nossos públicos de uma exposição à Covid-19, neste momento em que as pessoas anseiam pela imunização.

    Também responde a uma questão sensível de mercado, no qual o ambiente de incertezas, as restrições de viagens e o fluxo nos aeroportos, dificulta para a FIMMA Brasil garantir a qualidade esperada que a feira representa.

       Levando essas questões em consideração e, sobretudo, pesando o compromisso da Movergs para com seus expositores, visitantes e comunidade local, a decisão mais responsável no momento é o adiamento da FIMMA Brasil. Ainda não existe nova data. Brevemente, em conjunto com o expositor, haverá essa definição com ampla divulgação.

         Salientamos que as Rodadas de Negócios virtuais, agendadas para maio de 2021, estão confirmadas, sem qualquer alteração nesse projeto em específico.

     Nossas equipes estão à disposição para sanar quaisquer dúvidas que restem desse anúncio.

Cordialmente,

Rogério Francio | Presidente da Movergs
Euclides Rizzi | Presidente da Fimma Brasil

 

]]>
Grupo L. Formolo divulga balanço de ações em Caxias do Sul durante 2020 https://adrisilva.com.br/2020/12/18/grupo-l-formolo-divulga-balanco-de-acoes-em-caxias-do-sul-durante-2020/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=grupo-l-formolo-divulga-balanco-de-acoes-em-caxias-do-sul-durante-2020 Fri, 18 Dec 2020 19:16:22 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=16948

Grupo L. Formolo divulga balanço de ações em Caxias do Sul durante 2020

Atendimentos funerais e doações garantiram assistência a centenas de famílias em Caxias do Sul

 

Na próxima segunda-feira, 21, o Grupo L. Formolo completa 49 anos de fundação. No ano que antecede meio século de atividades nas regiões da Serra e Central do Estado e em breve no Litoral, a empresa proporcionou dezenas de atendimentos à população caxiense.

De janeiro a dezembro, foram realizados 253 funerais gratuitos em atendimento às solicitações da Fundação de Assistência Social (F.A.S). Também foram efetuados outros 134 funerais em parceira com o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) da cidade, em que famílias que comprovaram o enquadramento em programas sociais puderam contratar o serviço funerário básico completo a baixo custo.

Além dos funerais, o Crematório de Caxias foi credenciado a prestar serviços de cremação e urna funerária para pessoas carentes falecidas pela COVID-19. No total, ocorreram oito cremações e cujo custo foi pago pela prefeitura com 40% de desconto do valor de tabela.

Entre março e dezembro, o Grupo L. Formolo doou cerca de 100 sacos especiais para óbitos para as instituições de saúde atenderem o manejo adequado de corpos vítimas de COVID-19, conforme exigência do Ministério da Saúde. Foram destinadas peças para o Hospital Geral, Hospital Virvi Ramos, Emercor e Hospital São João Bosco de São Marcos.

Mateus Formolo, diretor comercial do Grupo L. Formolo, ressalta que 2020 foi um ano de muitos desafios devido à pandemia da COVID-19. “Foram meses de muita responsabilidade, dedicação e solidariedade, especialmente aos familiares que perderam entes queridos pelo Coronavírus. Agradecemos aos nossos colaboradores pelo empenho em um ano atípico”.

Brechó Solidário AssistPrev Lar São Francisco

Entre 11 e 14 de março, o AssistPrev realizou seu Brechó Solidário AssistPrev Lar São Francisco e arrecadou R$ 9.940,00, dos 2,8 mil itens vendidos a preços que variaram R$ 5,00 a R$ 20,00 de roupas, calçados e acessórios. O valor foi entregue ao lar da Velhice de Caxias do Sul que abriga em torno de 60 idosos.

Grupo L. Formolo

Fundado em 1971 por Laurindo Luiz Formolo, o Grupo L. Formolo conta com seis unidades de atendimento funerário, o Crematório São José de Caxias do Sul, o Cemitério Parque Santa Rita e o Cemitério São José, ambos em Santa Maria, e mais de 40 capelas velatórias instaladas nas suas cidades de atuação. O grupo conta com aproximadamente 150 funcionários.

Nesses 49 anos de história sempre primou pela inovação e qualidade dos serviços prestados, evoluindo em conceito e infraestrutura com o objetivo de disponibilizar um ambiente de muita paz e um atendimento adequado ao momento.

Entre os líderes de mercado no Rio Grande do Sul, o Grupo L. Formolo oferece serviços funerários, cemiteriais e de cremação e está presente em quatro cidades da Serra Gaúcha (Caxias do Sul, sua sede, Bento Gonçalves, São Marcos, Farroupilha) e há três anos em Santa Maria, na região Central do Estado. Em 2021, o grupo também iniciará o atendimento de cremação na cidade de Osório, em uma área construída de 867m², que abrigará duas salas velatórias, em um espaço de 3.217 m², ao lado do cemitério municipal, às margens da Estrada do Mar.

]]>
Agência Sicredi Unisinos conquista 1º lugar na categoria Design Ambiental do 8º Prêmio Nacional Bornancini de Design https://adrisilva.com.br/2020/12/17/agencia-sicredi-unisinos-conquista-1o-lugar-na-categoria-design-ambiental-do-8o-premio-nacional-bornancini-de-design/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=agencia-sicredi-unisinos-conquista-1o-lugar-na-categoria-design-ambiental-do-8o-premio-nacional-bornancini-de-design Thu, 17 Dec 2020 23:45:00 +0000 https://adrisilva.com.br/?p=16972

Agência Sicredi Unisinos conquista 1º lugar na categoria Design Ambiental do 8º Prêmio Nacional Bornancini de Design

 

Foram avaliados critérios de originalidade, aplicabilidade e processo em uma das premiações mais renomadas do país, a partir do projeto arquitetônico da unidade reinaugurada em agosto deste ano, em São Leopoldo

 

        Em agosto desse ano, a Sicredi Pioneira RS reinaugurou sua agência, junto ao campus da Universidade do Vale do Rio do Sinos (Unisinos), em São Leopoldo, com intuito de  estimular uma forma mais próxima de relacionamento, seja para buscar soluções financeiras, quanto realizar atividades individuais ou coletivas, por meio de ambientes colaborativos e dinâmicos, distribuídos numa área superior a 400 metros quadrados. Com projeto assinado pelos arquitetos Daniel Prujá e Liliana Curra, da Fato Arquitetura, a agência Sicredi Unisinos conquistou o 1º lugar (distinção Ouro) na categoria Design Ambiental – Ambientes Comerciais e Corporativos do 8º Prêmio Nacional Bornancini de Design, promovido pela Associação de Profissionais de Design do RS (Apdesign). 

     A premiação comprovou o reconhecimento de uma proposta ousada, um espaço totalmente inovador e interativo para livre acesso da comunidade e do público universitário, incluindo associados e não-associados. Nesta edição, o prêmio teve novidades na estrutura e formatação, além de, por conta do atual cenário de pandemia, adaptar o evento para uma experiência digital, ampliando a abrangência e participação de profissionais e estudantes de todo país. A avaliação dos trabalhos na categoria Design Ambiental priorizou a originalidade (qualidade dos projetos concorrentes, seus elementos e soluções), o processo (aspecto metodológico que se apoia no contexto, no público, no posicionamento da marca e entendimento da comunidade/usuário) e aplicabilidade (verifica se o projeto atende ao briefing, sendo aplicável à realidade). “Isso significa que a proposta da agência é dotada do mais alto nível de qualidade quanto aos critérios estabelecidos. É uma avaliação feita por quem também produz design, ciente do seu valor como meio para impactar positivamente a vida das pessoas”, defende Daniel Prujá.

       O arquiteto credita ao layout disruptivo, que caracteriza um ambiente corporativo inovador, o diferencial para a Agência Sicredi Unisinos ter sido agraciada, considerando o contexto das instituições financeiras. Segundo ele, trata-se de um design inédito no Brasil, que encontra poucos paralelos no mundo. “Percebemos, em alguns países, muitos ambientes de instituições financeiras inovando na maneira de atender seus clientes, introduzindo atividades que produzem espaços híbridos, expandindo as possibilidades do que o usuário pode fazer no local. Um exemplo é uma agência com cafeteria ou áreas de trabalho ou de reuniões, em formatos de coworking. Mas o que foi proposto na unidade Sicredi Unisinos foi além”, aponta. Lá foi disponibilizado café, espaço de trabalho e convivência somados à viabilidade do associado/usuário escolher como desenvolver tais atividades e como quer ser atendido pela equipe de colaboradores. E até mesmo, onde realizar essas ações, já que as imediações da agência congregam o espaço comunitário do campus, podendo ser explorado a partir da infraestrutura que a unidade oferece.

         Os painéis interativos e os cubos abertos e móveis – com rodinhas para facilitar o deslocamento – que contemplam mesas, bancadas, pufes, colchonetes moduláveis e power bank para o carregamento de celulares e notebooks permitem que os associados e a comunidade acadêmica decidam como, onde, o que querem ou precisam fazer. Os cubos ainda possibilitam a montagem de um miniauditório ao ar livre para fins de palestras ou workshops. “É um local que oportuniza ao associado ou usuário “construir” o seu próprio ambiente”, reforça o diretor de Operações da Sicredi Pioneira RS, Eduardo Spier, ao destacar o conceito da agência: priorizar o cooperado e manter-se próxima dele e da comunidade, oportunizando experiências que atendam além das necessidades financeiras. “A partir do nosso entendimento como arquitetos e associados do Sicredi, projetamos o que acreditávamos ser uma agência de cooperativa de crédito, dentro de um campus universitário. Nesse contexto, o ponto alto foi, sem dúvida, a interatividade a serviço do protagonismo do associado”, relata Daniel Prujá.

Quem é José Carlos Bornancini

        A premiação foi instituída em 2006 em homenagem ao professor, engenheiro e designer gaúcho José Carlos Mário Bornancini, referência do design no Rio Grande do Sul e um dos mais expressivos designers brasileiros, com objetivo de reafirmar o papel do design como propulsor de inovação, visando a concretização de uma sociedade melhor para todos. De renome internacional, Bornancini possui algumas de suas criações integradas às exposições permanentes de grandes centros culturais, como o MoMA – Museum of Modern Art de Nova York.

        A Agência Sicredi Unisinos está localizada no campus universitário, próxima à biblioteca. Um belo motivo para visitar esse projeto premiado a serviço da experiência e do relacionamento, sem dispensar a tecnologia de ponta para atendimentos digitais, sempre que necessários.

]]>